sexta-feira, 16 de março de 2012

Hoje são duas postagens

Sim, há quatro postagens seguidas eu tenho escrito textos que partiram de um spam que eu recebi e resolvi continuar a história, que diga-se de passagem não tem nem pé nem cabeça.
Porém eu tenho me divertido tanto com esse negócio de escrever o que vem na cabeça, correlacionar histórias, contos, desenhos e programas antigos, dar muita risada com isso e lembrar da infância. tudo isso com um "fundo" de ação sobre os futuros acontecimentos, que sinceramente, não sei o que vai acontecer e nem sei quando. Afinal eu só sei o que eu estou escrevendo na hora em que escrevo, nada premeditado.
Com toda certeza do mundo, não pensei muito em falar que, por exemplo, se a Rainha da Inglaterra ganhar numa partida de pôquer o mundo acaba. Por um outro lado, se a gente parar para pensar no que eu inconscientemente quis dizer, na Idade Média, os poetas dentre outros artistas, inventavam lendas idiotas que perduravam e íam para os quatro cantos do mundo. Então é razoável dizer que, é lógico, o mundo não iria acabar se a Rainha ganhasse na jogatina (será?), mas quem iria arriscar? Então lendas e mais lendas apareciam, como a dos dragões, a do precipício no final do mundo, do pote de ouro do arco-íris etc.
Outra fonte de inspiração tem vindo da TV. Um canal de desenhos vinculado ao Cartoon Network, o Tooncast, só passa os clássicos, tipo Super Amigos, Jonny Quest, He-Man, She-Ha etc. É muito bom ter um canal de TV com esse propósito, afinal os desenhos de hoje, inclusive os re-makes, são muito bonitos e pouco envolventes, ao contrário do passado (é claro que não me refiro ao narrador hilário do Super Amigos, ou ao Aquaman, o super-herói mais idiota de todos).

No mais, em breve eu volto a escrever coisas mais concretas, menos malucas ou estranhas. Porém no momento ainda estou rindo de tudo isso, e rir é a melhor coisa do mundo, rir de chorar, rir de dar soluço.

Estou indo, Silver vem me buscar agora, vou para o Mundo da Lua....

2 comentários:

Andarilho disse...

Disse Baudelaire:

"Genius is no more than childhood recaptured at will, childhood equipped now with man's physical means to express itself, and with the analytical mind that enables it to bring order into the sum of experience, involuntarily amassed."

Sempre ótimos os textos. Tentei fazer o mesmo, mas percebi que não conseguia ser engraçado o suficiente. Gosto da forma como você escreve despreocupadamente, com um ar de infância destemida.

Josy Poulain disse...

Coincidentemente, ou não, quando li esse texto a primeira coisa que me veio a cabeça foi a forma despreocupada com que escreves, é uma escrita pura (se bem que essa não é a palavra mais adequada para qualificar seus textos, no entanto não me veio outra à cabeça, rs). Fabuloso.