segunda-feira, 26 de março de 2012

Ah... vá!

Caramba, é a quarta quinta vez que eu escrevo e apago a primeira linha dessa postagem.

Vai ser breve, não estou inspirado. Na verdade estou, mas de fato eu preciso de concentração para que saia algo feliz bom.

Hoje foi um dia bom, tirando a correria que é esta faculdade maluca que me faz perder o qualquer senso de tempo.
O 4shared tem sido cada dia pior, êta sistema de busca ruim! Fiquei 2 horas tentando baixar a música "How Long" da banda "Eagles", eu digitava "eagles how long" e nada. Só "eagles" e dava 209.005.122 resultados, daí digitava só "how long" e apareciam mais 190.003.233 resultados, depois colocava traço, tirava traço, colocava underline, tirava underline, enfim... recorri ao piratebay.org.

Este parágrafo acima foi apenas para lembrar o que eu precisava escrever, porque eu me esqueci, foi uma distração causada ao ver "Mr Big - Wild World" no Youtube.

Bom, não lembrei do que eu iria escrever, mas tive uma inspiração sobre algo preconceituoso que passei minha vida toda escutando e que preciso contar a verdade e o que eu penso a respeito.

Durante muitos e muitos anos, sempre vem à tona os casos de crianças doidas que pegam a arma do pai e saem por aí atirando, seja na escola, seja no cinema, seja na casa do c... kkk.
Enfim, daí esse pessoal "inteligente" da mídia faz uma reportagem com "pseudo-psicólogos" que jogam a culpa nas rotinas das crianças, principalmente no Video Game e no RPG. eu jogo ambos, o segundo já faz um tempo que não, mas só não jogo por falta de tempo.
Eis que eu sempre achei ruim essas reportagens mas no fundo, bem no fundo eu achava que sim, isso podia influenciar a criança a sair num dia de fúria matando geral.

Pois esse meu pensamento acabou. Porque eu consegui provar (e eu sou a prova disso) de que os jogos não definem DE JEITO NENHUM o caráter da criança doida.
Digo isso porque estive jogando um jogo de XBox, The Elder Scrolls V - Skyrim e neste jogo você é livre para fazer tudo, inclusive de matar inocentes.

E digo aos meus amigos que estão aqui lendo que eu, uma pessoa que nunca matei ninguém de verdade e sou o mais tranquilo o possível, NEM NO JOGO EU CONSIGO!!!
Se precisei fazer um serviço sujo no jogo, eu fiz, mas ATÉ NO JOGO deu um REMORSO IMENSO!!!

Portanto cheguei a conclusão que não, se a pessoa já nasceu ruim ou se foi educada muito mal pelos pais é da pessoa, jogo nenhum, amigo nenhum, NADA faz a pessoa mudar de caráter, NADA!

Jogar a culpa em jogos e influências é balela, é papo pra provar que muitos pseudo-psicólogos ainda existem.

Ontem mesmo, ao jogar Skyrim, eu morri 200 vezes no jogo porque não quis matar um cara lá que implorou para não morrer e estava desarmado. Mas daí o cara que me contratou me matou 200 vezes. Na 201ª vez eu matei, com muito remorso. MAS É JOGO!
Afinal, na vida real, quem aperta o gatilho não é o Scorpion nem o M. Bison....

Não devemos nunca deturpar algo que está na cara e é da índole da pessoa.

Amanhã eu posto de novo com algo mais interessante, AH, sumiu tudo da cabeça!
@#$$%#%# #$%#%@#!@# *¨&¨*&

2 comentários:

Andarilho disse...

Que revolta é essa, rapaz?

Daniel "Amarelo" disse...

Não é revolta não. Estou na verdade feliz ao entender que jogos e coisas do tipo não influenciam NEM mudam caráter...