terça-feira, 6 de agosto de 2013

Vermelhou no curral?

Tenho ouvido muita inverdade a respeito, gente que não estuda para falar e sai aos quatro cantos falando... mas vamos lá. 

Está bem, vou falar que Cuba tem um IDH maior que o Brasil, analfabetismo e mortalidade infantil quase nulas e que quase todos os cidadãos, pobres ou ricos, tem moradia lá. Aí vão me dizer, obviamente: "Olha o tamanho do Brasil e olha o tamanho de Cuba! 

Aí lhes respondo: Um país que mal tem espaço para a população, quiçá para agricultura e pecuária... que tem trocas comerciais exteriores mínimas devido a "proibição" estadunidense desde 1960 (sim, os EUA ainda temem a Guerra Fria eu acho... piada?), e mesmo assim, MESMO ASSIM sobrevive. 

Não digo que Fidel fez certo ao ficar tanto tempo no governo, e que Che foi realmente o santo que vendem (acho até que está longe disso!), mas se tem algo de bom naquele país sem quase nenhum recurso e mesmo assim tem indicadores sociais melhores que os nossos, é bom fazer um benchmarking. 


Aí vão me falar que tem muito cubano que foge diariamente de Cuba rumo aos EUA para "uma vida melhor". 


Destaco três pontos referentes a esse assunto: 

- Os cubanos vão clandestinamente aos EUA porque o país destino que fechou as portas pra eles, e não o contrário. Se assim fosse, como explicar os turistas que entram e saem de Cuba quando bem entendem? E a tal jornalista que critica pra caramba Cuba como se lá fosse o Irã e vai e volta quando pode?
- Qual o problema dos cidadãos de Cuba tentarem a vida fora de lá? É bom que saibam que o Brasil tem a maior colônia estrangeira nos EUA, uma das maiores no Canadá e está no top 10 de quantidade de pessoas que saem do país por ano. E tenho certeza que é muito mais brasileiro fora do Brasil que a população toda de Cuba. E detalhe: diz pesquisa que mais de 30% dos brasileiros estão ILEGAIS no exterior. 
- Essa vida melhor que o cubano procura nos EUA indo lá clandestino, o que será? Prostituição? Tráfico de drogas? Babysitter? Morar de aluguel, viver para pagar o que comer e o que beber e mesmo assim sofrer com preconceito? Gosto sempre de lembrar que nem todo país do mundo é igual ao Brasil, que ama mais os estrangeiros que os próprios cidadãos nacionais... 

Vale ressaltar que não existe sistema político sócio-econômico ideal, mas garanto que tem sistema melhor que o nosso. 

Não acho errado os brasileiros trabalharem fora, acho inclusive que essas barreiras territoriais deveriam cada vez mais diminuírem, o mundo é um só. Eu só acho errado as pessoas que olham um cisco nos olhos dos outros mas não enxergam o caminhão de areia nos próprios. 

A vida em Cuba ou em qualquer lugar no mundo está difícil de dizer que é a ideal... vemos países em que a riqueza é tamanha que a solidão vem junto. 

Tem país que é tanta pobreza que mata-se por comida. Nós temos recursos, nós temos opinião. Só não temos um sistema que nos ampare. Só ampara quem tem dinheiro, ou estou errado? 
Pede dinheiro no BNDES para sua micro-empresa para ver... demora 1 século. 
Eike Batista deita e rola, e não só ele... os Marinho, Edir Macedo... 

Vermelho, vermelhaço, vermelhante, vermelho.

Um comentário:

Andarilho disse...

Eu admito que cheguei num ponto em que nem me dou ao trabalho de discutir mais esse tipo de coisa. Quem levanta pseudoargumentos como o referente ao tamanho do Brasil em relação a Cuba (e já ouvi o mesmo em relação a Noruega, por exemplo), está com ideias tão calcificadas que não se permitem largar delas. Mas no fim tudo vai melhorando.

Fico só com meu lema atual: reaça, me abraça. Acho que lhes falta carinho humano.