sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Triste Quase-parada de Donatto Leão

Estudos, faculdade, tempo escasso, trabalho demais no serviço...

Uma penca de desculpas e a principal: empaquei!!!
Não sei se peço ajuda aos universitários, ou o quê? hehehehe
Só sei que cheguei na bendita parte do livro o qual eu tenho que pensar para continuar... aqui estamos no capítulo 6, eu parei de escrever no 13. Porém do 6 em diante, uma reviravolta acontece na história, não tão drástica, mas se eu postar até o 12º e não tiver terminado o 13º ainda... vai ficar chato, porque até aqui eu pude me dar ao luxo de despertar a curiosidade... daqui pra frente não tem jeito... ou coloco tudo, ou espero aparecer minhas idéias...

Querem arriscar eu continuar? Eu acho que tenho chance, e pelo menos 5 semanas (5 capítulos prontos) para postar... por outro lado, faz 1 mês que sento pra digitar e diGRITO, não digito!

Para finalizar, um poeminha recém-criado.

"Falta

A falta do bem, faz o mal
E a falta do mal, faz o bem
A falta da morte, imortal
A falta da vida, amém!

A falta do tudo é o nada
A falta do nada é o tudo
A falta do silêncio é aclamada
A falta do grito, estou mudo

A falta de sentimento é insensatez
A falta de insensatez é chorar demais
Dentre todas as guerras desta vez
Só precisava um pouquinho de paz

A falta do amor é o ódio
A falta do ódio é o amor
A falta por si só é o tédio
E o tédio é a falta da dor

A falta de poesia angustia a gente
A falta de paciênca se faz poesia
A falta do último verso é iminente
..."

Abraços amarelos!

2 comentários:

Andarilho disse...

Excelente! E fechou com chave de ouro!

O autor do texto no meu blog é desconhecido. Achei nas internetes e lá também não havia referência. Mais uma daquelas formidáveis contribuições anônimas que encontramos em nossos dias.

Também estou com saudades, meu amigo! Bem que podias ter aparecido na casa de Jonas no sábado, não?

Josy disse...

A falta do bem faz o mal...
é exatamente isso.

Abraços amarelos;