segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Tempo certo de acordar

Passei numa avenida, margeando o rio que corta minha cidade.
Há alguns anos, milhares e milhares de garças faziam ninho naquelas árvores, ali, às margens do rio.
A garça, por sinal, é o símbolo desta cidade que eu moro, inclusive na bandeira três finas garças sobrevoam a parte azul, simbolizando talvez o céu.
O problema é o seguinte: alguns moradores dali estavam ficando incomodados com o cheiro das fezes das garças, e portanto, a prefeitura num gesto "cívico" cortou algumas árvores, fazendo com que as garças mudassem de lado do rio.
Pois é, donas do lugar bem antes destes moradores, tiveram que sair, como se diz, pela porta dos fundos!


Eu não sei onde vamos parar. Só sei que do jeito que está, não temos muita chance não, e acho que não são nossos filhos nem netos que vão sofrer: nós já estamos sofrendo muito.
Quem tem alergia, como eu, sabe do que estou falando.


Três meses sem chover, que caos, meu nariz mal desentupe já entupe de novo! E o dia inteiro aquele cheiro desagradável de fumaça! Paira no ar, não tem como fugir!


Precisamos cantar em volta da fogueira clamando por chuva, porque só isso para baixar esses poluentes que estão nos enchendo a paciência!!!


Quando vamos mudar? É tarde?


Bom, minha avó, ontem, conversando comigo quando fui buscá-la no cinema me disse que nunca é tarde para nada! Sempre dá tempo. Ela disse isso porque justo nesse dia ela tinha ido ao cinema com uma amiga, uma senhora que das pessoas que eu conheço é com certeza a mais feliz e sorridente.
Ela e minha avó já beiram os 80 anos, e ficaram amigas aos 70, porque ela é avó de um amigo de jardim de infância do meu irmão (na época que meu irmão era menor que eu!!!).


Minha avó me disse que, com essa idade, encontrou a melhor amiga de toda a vida. Isso é mais difícil acontecer que pararmos para pensar e fecharmos a torneira, desligarmos a luz quando desnecessária, jogarmos o lixo corretamente e separarmos o reciclável, entre outras coisas.


Porque para falar a verdade, não adianta. Quando a natureza quer, ela se vinga, e tudo volta ao normal...


E as garças?
Ah, elas não moram mais lá. Como eu disse, mudaram de margem do rio.
Mas na revoada normal das seis da tarde, elas passam próximas àquelas casas (que as expulsaram de lá) e deixam algumas toneladas de cocô....


Boa semana.

2 comentários:

Amèlie disse...

Uma hora o pior acontece!
Todos os dias temos sinais de que algo está realmente errado mas não vemos (ou fingimos que não estão lá!).

Trabalho de formiga, acho que é isso que define pessoas com a mentalidade como a sua. Dessa forma, a única coisa a dizer é: Continue fazendo a coisa certa, quem sabe um dia todos consigam ver quem está clamando por socorro.

Andarilho disse...

Imagino que a reação Amarela seja positiva?

A relatividade nos ensinou que, excetuando-se a velocidade da luz, tudo é relativo. Isso inclui espaço e até mesmo tempo.

Se o tempo não é uma constante ou um fluxo e até nossa física já entendeu isso, como podemos achar que é tarde para algo? Às vezes é bom sonhar e sair dessas restrições do nosso mundinho.